segunda-feira, 22 de outubro de 2012

DARA, DOCE DARA

E agora, saindo quentinho do forno, um poema que acabei de fazer esta manhã. Espero que gostem. Só lembrando que os comentários podem ser feitos sem necessidade de logar na sua conta do Google (nem é uma indireta... kkkkkkkkkkkkk). :D
----------------------------------------------------------------------------------------------------


Quero a doçura de Dara.
Quero ouvir a sua voz e sentir seu cheiro.
Dara, menina doce, dona de tez suave,
Tem a tremenda ternura nos seus olhos pueris
E inspira trovadores a trovar poeticamente
Tal qual este que aqui a escreve, que sempre a quis.

Dara, criatura carinhosa, do sorriso franco e doce,
Anda pelo mundo a iluminá-lo, roubando o brilho solar,
Movendo olhares a segui-la pelo caminho de rosas aos seus pés,
Encanta os marinheiros, nos navios, em seus conveses,
Ao a verem passar linda e praieira na orla, mais linda que as sereias do mar.

Sonho com os carinhos de Dara.
Sonho que ela me dê, dando-me alegria, em noites de aninho.
Ai, Dara, cheia de amor, afaga-me a minha cabeça,
Beija-me a minha boca suavemente, ainda que eu não mereça,
Dá-me o mel dos teus lábios, Dara, deixa-me provar deste favo,
O favo de Jati que há na tua boca, para que de ti eu nunca me esqueça.

2 comentários:

  1. Ficou lindo, como todos os outros, adorei *-*

    ResponderExcluir